Como se planejar para visitar as feiras de negócios deste ano

Como se planejar para visitar as feiras de negócios deste ano

Saiba se preparar e o que buscar na temporada de mostras de negócios, que começa neste domingo e tem atrações para micros, pequenos e grandes empreendedores

Claudio Marques

15 de janeiro de 2017 | 07h33

O casal de micro empresários Prisca e Jonatan Fiuza no showroom dos produtos da fábrica de bolsas. FOTO TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO - TIRADA COM MOTO Z PLAY + HASSELBLAD TRUE ZOOM

O casal de micro empresários Prisca e Jonatan Fiuza no showroom dos produtos da fábrica de bolsas. FOTO TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO – TIRADA COM MOTO Z PLAY + HASSELBLAD TRUE ZOOM

 

Caroline Monteiro / Especial para o Estado
Em 2017, serão realizadas 2.009 feiras de negócios em todo o Brasil, segundo levantamento da União Brasileira dos Promotores de Feiras (Ubrafe). A Couromoda, primeira do calendário, começa hoje e vai até dia 18, no Expo Center Norte, em São Paulo. Esses eventos são considerados as maiores oportunidades para fazer networking, descobrir tendências de mercado e conquistar novos parceiros, fornecedores, clientes e investidores.
No entanto, antes de começar as visitações, o empresário precisa planejar em quais tipos de feira irá e como serão as visitas. “Ir sem preparo significa perda de tempo e dinheiro para a empresa”, afirma o consultor do Sebrae Gustavo Carrer.
Prisca Fiuza, de 26 anos, e o marido, Jonatan Fiuza, de 27 anos, são proprietários há seis anos da Dona Prisca, uma fábrica de bolsas de couro que fica em São Bernardo do Campo. O casal já está preparado para a Couromoda deste ano. Outras feiras do setor, como Francal, TM Fashion e Inspiramais também constam no calendário dos microempresários desde o início da marca.
“No começo, íamos ao evento para saber em qual contexto o nosso negócio estava inserido e buscar referências de produtos. Queríamos descobrir que marcas existiam, quais usavam couro de verdade e quais importavam material da China”, conta Prisca.
Depois de várias visitas, o casal se sente mais preparado. Ao longo do tempo, conheceram fornecedores de vários lugares do Brasil e descobriram diferentes tipos de couro e estamparias. “Hoje, usamos os eventos para reconhecer modismos. Perguntamos se as novidades têm a ver com a nossa marca ou não. Isso ajuda a criar identidade.”
O preparo e a experiência é que fazem os Fiuza aproveitarem tão bem os eventos em que vão. “Antes de se credenciar, é imprescindível entender o motivo da visita”, diz a coordenadora do Centro de Empreendedorismo da Faap, Alessandra Andrade. “Às vezes, o que se busca é atualização e novas tendências. O micro ou pequeno empresário pode estar também atrás de clientes ou fornecedores”, afirma Alessandra. Nesses casos, as feiras setorizadas são as mais indicadas.
Para quem quer pesquisar um novo mercado, a dica é visitar feiras de empreendedorismo, como a do Sebrae, que começa no dia 18 de fevereiro. Os eventos promovidos por universidades também são interessantes para jovens que planejam abrir startups, por exemplo. “São feiras ricas em capacitação, com uma boa programação de palestras e workshops”, diz Alessandra.
Além de escolher bem a feira, os empreendedores precisam se preparar para fazer uma visita de qualidade. “Estude cada um dos eventos. Leia a apresentação, conheça os expositores, veja desde quando a feira existe, qual a sua frequência e quem costuma visitar”, indica o consultor do Sebrae.
Saber qual a importância da feira no setor também é essencial. “Se a feira é jovem, é bom observar se ela é a única do setor ou se já existem outras mais conceituadas. Às vezes, vale a pena esperar o novo evento se consolidar no mercado antes de visitar”, diz Carrer.
Segundo Alessandra, o mais indicado é ter a programação na palma da mão, inclusive de quais estandes e expositores você vai visitar. Por isso, desde 2014, as feiras têm investido em aplicativos e soluções digitais que ajudam o visitante a se programar. “A internet propiciou uma melhora muito grande no preparo das feiras. Em um evento com 600 expositores, o app ajuda a planejar visitas em 50 ou 60 estandes, durante os quatro dias”, diz o presidente executivo da Ubrafe, Armando Campos Mello.
Os aplicativos têm ajudado as feiras até mesmo depois do fim dos eventos, segundo Mello. “O contato pode ser mantido durante o ano inteiro, proporcionando uma experiência melhor tanto para os expositores quanto para os clientes, que já podem se preparar para a próxima edição.” No endereço calendario2017.ubrafe.org.br/ você encontra a litas das principais feiras do País.

Siga o guia

Defina o objetivo
Saiba o que você procura nas feiras. Pode ser atualização, pesquisa de mercado, futuros clientes, fornecedores e parcerias, novos setores para investir ou internacionalização do negócio.

Faça o calendário anual
Mapeie quais feiras combinam com suas metas e prepare uma agenda própria com as exposições do seu interesse.

Conheça o histórico
Analise cada um dos eventos. Veja há quanto tempo a feira é oferecida e qual a sua frequência. Se a feira for nova, compare com outras do mesmo segmento. Dê preferência às mais conceituadas antes de arriscar uma
novidade.

Estude a feira
Leia a apresentação, conheça os expositores, veja quem frequentou as últimas edições e saiba quais feiras os seus concorrentes estão visitando.

Programe-se
Planeje quais expositores você quer visitar e quanto tempo
deseja gastar em cada estande. Muitas feiras oferecem aplicativos que facilitam essa organização. Assim, o tempo é melhor aproveitado.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.