É possível despertar características inatas

É possível despertar características inatas

Claudio Marques

27 de maio de 2013 | 16h07

Especialistas apontam quais são as principais habilidades que

homens e mulheres de negócios devem ter para fazer empresa prosperar

 

Cris Olivette

Mesmo tendo o desejo de abrir seu negócio desde muito jovem, o administrador de empresas Marcos Rozzato foi diretor comercial em uma multinacional durante alguns anos. “Em 2010, resolvi realizar meu sonho e criei a Clínica Belare de fotodepilação e estética.”

 

Dois anos depois, no entanto, Rozzato estava em uma encruzilhada. “Eu tinha muitas dúvidas, não sabia se expandia com clínicas próprias, se virava um franqueador, ou se mudava de ramo.” O norte, segundo ele, foi dado depois que participou do treinamento Empretec (leia mais no texto abaixo).

“Participar do Empretec despertou em mim o desejo de seguir adiante sem olhar para o lado. Percebi que estava no caminho certo e que a expansão da empresa só dependia de mim e de minha persistência.

Comecei definindo novas metas de forma mais clara.” O empresário conta que também costumava começar as coisas e não terminar. “Agora o meu lema é – comece poucas coisas, mas persista e vá até o fim”, afirma ele.

]No final de 2012, Rozzato virou franqueador. Hoje, tem duas clínicas próprias, cinco unidades franqueadas que começam a operar em agosto, e mais quatro em fase final de negociação.
Assim como Rozzato, mais de 185 mil pessoas já passaram pelo Empretec com a expectativa de desenvolver uma postura empreendedora.

Perfil. Mas, afinal, o que caracteriza uma postura empreendedora? A pessoa nasce com ela? É possível adquiri-la? De acordo com o professor e coordenador do Centro de Empreendedorismo e Novos Negócios da Fundação Getúlio Vargas, Tales Andreassi, pelo menos quatro características são indispensáveis para um empreendedor.

“Ele precisa gostar de inovação, ter orientação forte para o crescimento, detectar e buscar oportunidades e saber trabalhar com o risco. Existem outras, como ter capacidade de planejar, mas essa é uma questão técnica e é possível adquirir com o tempo”, defende o professor.

Para Andreassi, tais característica estão adormecidas na maioria das pessoas. “Se elas frequentarem um ambiente empreendedor, ou que incentive o empreendedorismo, podem desenvolver essas habilidades.”
O fundador do site Empreendemia e do blog Saia do Lugar, Millor Machado, acredita que é possível desenvolver características técnicas de empresário, mas a postura empreendedora, segundo ele, é inata.

“Ser empreendedor é diferente de ser empresário. Um empresário lida com a parte técnica como gestão da empresa, área financeira e comercial. Já o empreendedorismo é muito mais uma postura, uma forma de pensar e agir”, afirma. E acrescenta: “Conheço pessoas que conseguiram desenvolver características de empresário. Ao mesmo tempo, os empreendedores que conheço sempre tiveram essa vontade de fazer as coisas de forma diferente e de buscar coisas novas”.

Segundo a criadora da marca Joias do Pantanal, Isabel Muxfeldt, foi o espírito empreendedor que a fez trocar o ramo da construção civil pelo artesanato de biojoias – feitas com produtos como sementes, chifres, coco, entre outros produtos. “Quando comecei, em 2003, a produção era pequena. Hoje, produzimos mil peças por mês.”

Isabel credita parte de seu sucesso à sua participação no Empretec. “Foi um divisor de águas. Essa metodologia mexe muito com a pessoa internamente. Com o tempo fui me ajustando e evoluindo.” Isabel diz que conseguiu enxergar suas falhas e também suas qualidades. “A rede de contatos foi algo muito importante que aprendi a valorizar.”

Já para o professor de educação física Leandro do Carmo, o seu perfil empreendedor é uma herança genética. “Meus tios, meu avô e meu pai sempre foram donos de negócios, e eu sempre tinha em mente o desejo de ser independente.”

Carmo conta que a oportunidade para criar a Alto Rendimento Assessoria Esportiva ocorreu quando estava no segundo ano da faculdade. “Sou atleta de mountain bike e desenvolvi um programa de treinamento para mim. Meus amigos gostaram e me pediram um treino individualizado. Desde então, ofereço prescrição de treinamento esportivo a distância para atletas de vários esportes de todo o Brasil.”

A partir do próximo mês, Carmo lançará um novo site para monitorar de perto a evolução dos atletas. Atualmente, ele usa o Facebook para interagir com os clientes e para conquistar novos. “Pela rede ,consigo cerca de três novos atletas por semana.”

Sebrae faz evento para comemorar 20 anos do Empretec

De amanhã até a próxima quarta-feira o Sebrae realiza em Brasília o Encontro Nacional de Educação Empreendedora, que tem como objetivo discutir o desenvolvimento do comportamento empreendedor entre estudantes do ensino fundamental, médio e universitário.

O evento faz parte das comemorações dos 20 anos do Empretec no Brasil – uma metodologia foi desenvolvida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para estimular mudanças comportamentais e incentivar o participante a desenvolver atitudes empreendedoras.

No Brasil, o treinamento é executado com exclusividade pelo Sebrae. Seu presidente, Luiz Barreto, diz que pesquisa realizada pelo órgão apontou que, em média, empreendedores registraram acréscimo de R$ 24,6 mil por mês após participar do treinamento.

“Vamos comemorar o sucesso do Empretec debatendo a educação empreendedora no Brasil, além de mostrar como ela ocorre em outros países.”

Barreto diz que o evento contará com a participação do indiano Bunker Roy, criador da Universidade dos Pés Descalços, que trabalha com inovação e economia sustentável. “Também vamos conhecer a experiência do professor português José Pacheco, criador da Escola da Ponte, que conta com um projeto educativo baseado na autonomia dos estudantes.”

O presidente afirma que espera que o evento estimule projetos e negócios na área educacional. “Queremos que os jovens tenham contato com questões relacionadas a temas como gestão financeira, empresarial e de comportamento, fundamentais mesmo para quem não venha a empreender no futuro.”

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: