O especialista responde

Claudio Marques

21 de maio de 2013 | 08h21

‘Como eu posso calcular o valor da mão de obra na área de serviços?’

Para o preço de mão de obra é necessário considerar todos os custos de contratação e gastos da empresa. A modalidade mais utilizada hoje ainda é o vínculo empregatício por meio de carteira de trabalho, previsto na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Nesse caso, além do salário, seria preciso levar em conta encargos como Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), INSS e provisões como 13º salário, férias e benefícios (vale refeição, vale- transportes etc.).

Por exemplo, uma pequena empresa de serviços enquadrada no Simples Nacional, que decida contratar um funcionário com salário de R$ 5.000,00, terá que considerar um valor total de R$ 6.500. Pois terá de reservar R$ 400 de encargos (FGTS 8%) e R$ 972,00 de provisões (8,33% de 13º salário e 11,11% de férias), além de um gasto com benefícios de R$ 128.
Observados os gastos, é preciso calcular a quantidade de horas trabalhadas no mês. Dividindo o salário pelo número de horas mensais chegamos ao valor da força de trabalho. Assim, uma pessoa com salário de R$ 6.500 e trabalha 172 horas por mês custa R$ 36,93 por hora.
É importante lembrar que esse não será o preço cobrado pelo serviço, uma vez que ao valor final por hora de trabalho ainda deve ser somado a comissão, impostos, valores proporcionais de despesas fixas (água, aluguel, etc.), material utilizado e margem de lucro.

Ciomalia A. de Medeiros, consultora de finanças do Sebrae

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: