O ESPECIALISTA RESPONDE

Claudio Marques

21 de abril de 2012 | 09h00

Como avaliar se um financiamento é bom ou ruim para a empresa?
Precisamos ter em mente que não existe financiamento caro ou barato.  Existem financiamentos que cabem ou não cabem nos projetos da empresa.  Lembre-se, também, que bancos são fornecedores.  Por isso, antes de adquirir um financiamento, faça cotações.  Basicamente, as solicitações de financiamento se dividem em duas: empréstimos para capital de giro e financiamentos para investimento.
Enquanto a primeira resolve questões do dia a dia da empresa, do capital necessário para a execução da atividade, o investimento é aquele patrimônio que conduz a empresa ao faturamento. É pelo investimento que a execução se constrói.
Dessa forma, o retorno do capital de giro é muito mais rápido do que o retorno do investimento.  Portanto, não podemos usar dinheiro de curto prazo para pagar investimentos de longo prazo.
Definir o tipo de financiamento que melhor condiz à realidade da empresa pode não ser fácil.  Taxa e prazo de retorno, tamanho do investimento, forma de utilização, entre outras, são informações necessárias para tomar a melhor decisão.  As informações saem do plano de negócio ou do projeto de investimento.
Na dúvida ou na insegurança, procure por entidades de apoio ao empreendedor, como o Sebrae-SP, para compartilhar informações e discutir a melhor decisão. É bom lembrar que só damos crédito para quem conhecemos.  Logo, só obteremos crédito de quem nos conhece.  Invista em estabelecer um relacionamento de parceria para a construção da credibilidade junto ao agente financeiro.  A falta de informação é a mãe dos riscos e níveis de governança corporativa conduzem a níveis de credibilidade.
 
Luiz Ricardo GRecco, consultor do Sebrae-SP

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: