ADILVAN NOGUEIRA/ ESTADAO
ADILVAN NOGUEIRA/ ESTADAO

Brasil deve ter safra recorde de 245,9 milhões de toneladas em 2020

A colheita de soja deve responder por cerca da metade desse resultado, com 119,4 milhões de toneladas, 5,2% a mais que em 2019, segundo levantamento do IBGE

Vinicius Neder, O Estado de S.Paulo

09 de junho de 2020 | 13h53

RIO - A safra agrícola de 2020 deve totalizar um recorde de 245,9 milhões de toneladas, 4,4 milhões de toneladas a mais que o desempenho do ano anterior, um crescimento de 1,8%. Os dados são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de maio, divulgado nesta terça-feira, 9, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em relação ao levantamento de abril, houve queda de 0,5% na estimativa, o equivalente a 1,1 milhão de toneladas a menos. A área colhida deve chegar a 64,6 milhões de hectares, 2,1% superior à de 2019.

A produção de soja deve somar 119,4 milhões de toneladas, com alta de 5,2% ante 2019, superando o recorde anterior, de 2018. Segundo o IBGE, a correção na estimativa de abril para maio, que ficou 1,4% menor, foi motivada pela produção no Rio Grande do Sul, que foi prejudicada por questões climáticas. A produção gaúcha está agora estimada em 11,2 milhões de toneladas, 16,1% abaixo da estimativa de abril. Com isso, a produção gaúcha ficará 39,3% abaixo de 2019.

“O Estado vem sofrendo com uma forte seca desde dezembro de 2019. A escassez de chuvas influenciou diretamente o rendimento médio da soja, que deve ficar próximo de 1,9 toneladas por hectare, uma queda de 40,7% na comparação com a média estadual de 2019”, diz a nota divulgada do IBGE.

A produção de arroz, que deverá somar 10,8 milhões de toneladas e ficar 5,3% acima da safra de 2019, foi revista para cima em maio. “A Região Sul, que concentra cerca de 83,0% da produção nacional, apresentou um incremento de 2,6%, devido ao aumento de 2,4% na produtividade da cultura”, informou o IBGE. Esse resultado é esperado mesmo com o declínio de 2,8% na área plantada.

Milho tem queda

Apesar da safra recorde esperada para a agricultura brasileira em 2020, a produção de milho deverá ficar 3,8% abaixo da registrada em 2019, somando 96,7 milhões de toneladas.

Conforme as estimativas do IBGE, a primeira safra de milho deverá responder por 27,5% da produção brasileira deste ano e, a segunda, com 72,5%. Na primeira safra, a produção alcançou 26,6 milhões de toneladas, 2,2% maior que a do ano passado. Para a segunda safra, a estimativa da produção é 70,2 milhões de toneladas.

Na passagem de abril para maio, “as reduções mais significativas na estimativa da produção foram informadas pelo Paraná (7,9% ou 971,9 mil toneladas), pelo Mato Grosso do Sul (2,9% ou 265,2 mil toneladas) e por Goiás (3,2% ou 300,8 mil toneladas). Os maiores crescimentos nas estimativas de produção, em relação ao mês anterior, foram verificados no Mato Grosso (3,6% ou 1,1 milhão de toneladas)”, segundo o IBGE.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.