Abril tem maior número soldados mortos dos EUA no Iraque

Morte de dois soldados encerra índice mais elevado desde setembro, quando 65 baixas foram registradas

REUTERS

30 de abril de 2008 | 08h30

Dois soldados norte-americanos foram mortos em Bagdá, disse o Exército dos Estados Unidos nesta quarta-feira, 30, elevando o número de baixas em de abril a 46. Isso faz do mês de abril o mais mortal desde setembro, quando 65 soldados norte-americanos morreram no Iraque, de acordo com estatísticas do icasualties.org, site independente que acompanha as mortes entre militares.   Veja também:Balanço diz que 925 morreram durante combates em Sadr City Em um comunicado, o Exército dos EUA disse que dois militantes mataram um soldado no noroeste de Bagdá, na terça-feira. O segundo soldado foi morto na beira de uma estrada da mesma região e no mesmo dia, em um ataque a bomba no carro onde estava. Cerca de metade das mortes de soldados norte-americanos no Iraque neste mês ocorreram em Bagdá -vários deles atingidos por foguetes e morteiros no leste de Bagdá, região que apoia o clérigo xiita anti-americano Moqtada al-Sadr. As forças norte-americanas e iraquianas têm lutado há semanas contra os militantes xiitas dentro de Sadr City e ao redor da cidade. As forças norte-americanas disseram ter matado 34 militantes em Sadr City na terça-feira, em uma série de conflitos, entre eles uma batalha na rua que durou quatro horas.   Embora abril seja o mês de mais baixas de soldados desde setembro, o número de mortes é bem mais baixo do que o do mesmo período de 2007, quando 104 soldados norte-americanos morreram no Iraque. Isso ocorreu quando os EUA avançavam em Bagdá, adentrando cidades da região da capital controladas por militantes da Al Qaeda. A Al Qaeda foi empurrada para fora de Bagdá e se reagrupou em províncias do norte da cidade.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.