Brendan McDermid /Reuters
Brendan McDermid /Reuters

Fitch prevê aceleração da economia global com recuperação no Brasil

Agência de classificação de risco espera que Brasil e Rússia se recuperem de recessão; desaceleração da China preocupa

Sergio Caldas, O Estado de S. Paulo

30 de junho de 2015 | 15h46

A Fitch prevê que a economia mundial crescerá 2,4% em 2015, 2,9% em 2016 e 2,8% em 2017, segundo relatório de perspectiva econômica global divulgado nesta terça-feira, 30. A aceleração esperada para 2016, diz a agência de classificação de risco, se deve à expectativa de que o Brasil e a Rússia se recuperarão da recessão, ainda que de maneira frágil.

Por outro lado, a Fitch avalia que a desaceleração estrutural da China prejudica o potencial de expansão da economia global.

Ainda no relatório, a agência prevê que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) vai começar a elevar suas taxas de juros antes do fim do ano, seguido pelo Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês). A Fitch estima que a média da principal taxa de juros dos EUA será de 1,1% em 2016 e de 2,3% em 2017.

Além disso, a Fitch prevê que o Banco Central Europeu (BCE) e o Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) darão continuidade a seus programas de relaxamento quantitativo (QE, na sigla em inglês), ou seja, de injeção de recursos em suas economias.

Tudo o que sabemos sobre:
economiaFitchBrasilRússiaChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.