15 feridos em acidente com navio da Petrobrás recebem alta

Cinco pessoas ainda permanecem internadas após explosão no Espírito Santo; buscas por desaparecidos serão retomadas

Fernanda Nunes, O Estado de S. Paulo

14 Fevereiro 2015 | 21h07

RIO - A BW Offshore, operadora do navio-plataforma Cidade de São Mateus, informou que outros 15 feridos na explosão da última quarta-feira, 11, receberam alta. Cinco dos 26 feridos ainda permanecem internados. Ainda não foram encontrados, no entanto, quatro desaparecidos. 

"A empresa frisa que todo trabalho que envolve a busca dos desaparecidos na plataforma é meticuloso, e realizado dentro de estritas normas de segurança. O objetivo principal da BW Offshore neste momento é encontrar as quatro pessoas desaparecidas, e as atividades atualmente em andamento são essenciais para a realização das buscas", informou. 

Segundo a BW Offshore, a plataforma está estável e sem entrada de água. Neste sábado, 14, foi iniciado processo para instalação de tampas nas caixas de mar. "Esta é uma atividade lenta e que necessita ser executada cuidadosamente", traz o comunicado. 

Buscas. Neste sábado, 14, as buscas pelos desaparecidos após a explosão no navio-plataforma foram retomadas. De acordo com informações passadas ao Sindicato dos Petroleiros do Espírito Santo (Sindipetro-ES), a água que invadiu a embarcação depois da explosão ocupa de cerca de 2 metros de altura na casa de bomba do navio, onde estariam os desaparecidos. 

A coordenadora-suplente do sindicato, Mirta Rosa de Souza Chieppe, admite que a chance de ainda haver sobreviventes é remota. "Pela nossa experiência, a gente não trabalha com essa hipótese, é muito improvável", disse a sindicalista.

Também na manhã deste sábado, em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, foi enterrado por volta de 9h Wesley Bianquini, de 36 anos, um dos trabalhadores mortos no acidente. Bianquini era casado e pai de dois filhos e trabalhava na BW Offshore como técnico de segurança do trabalho. De acordo com a imprensa local, o friburguense teria chegado ao navio-plataforma pouco antes da explosão, por volta das 13h.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.