2º turno é situação ganha-ganha para investidores, diz <i>WSJ</i>

O principal jornal financeiro dos Estados Unidos, The Wall Street Journal, afirma que a realização do segundo turno das eleições presidenciais no Brasil "apresenta uma situação ganha-ganha para os investidores". Segundo o Journal, Lula provou no primeiro mandato que é um administrador responsável da política fiscal "e os mercados financeiros desfrutaram de um longo rali desde que ele assumiu em 2003". Mas a maioria dos investidores, acrescenta o jornal, acredita que Geraldo Alckmin tem uma "noção mais clara" das reformas na Previdência e nas leis trabalhistas que o Brasil precisa para revigorar sua economia de baixo crescimento.O Journal prevê uma retórica sórdida na campanha para o segundo turno. Lula terá as vantagens de estar no governo, mas Alckmin está ganhando "momentum", diz a publicação, lembrando que o ex-governador de São Paulo conseguiu reduzir sua diferença com Lula nas pesquisas de intenções de voto de 17 pontos para apenas cinco desde 19 de setembro. Lula deve martelar sobre os benefícios que levou aos brasileiros pobres, que se favorecem de baixos preços de alimentos e da ajuda do governo a 11 milhões de famílias. Alckmin continuará desafiando Lula quanto aos casos de corrupção, diz o Journal.Algumas tendências continuarão trabalhando em favor do Brasil quando o próximo governo assumir em 1º de janeiro, acredita o jornal. As taxas de juros, que estiveram entre as mais altos do mundo, estão caindo e recentemente atingiram a mínima em 20 anos, o que deverá favorecer o consumo. "O governo também espera que os investidores darão o sinal verde para projetos parados assim que a incerteza sobre a eleição terminar", afirma o jornal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.