2007 foi o ano da inflação dos alimentos, aponta Fipe

Maior vilão do período foi o feijão. Só em dezembro, preço médio do item aumentou 42,34%

Flávio Leonel, da Agência Estado,

04 de janeiro de 2008 | 17h46

A inflação na capital paulista seria muito menor em 2007, se o grupo de produtos de alimentação não tivesse sido o grande vilão dos preços. A avaliação é do coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), Márcio Nakane, que, destacou a alta de 12,73% dos alimentos - a maior desde 2002, quando atingiu 18,46% - como fator determinante para a inflação de 4,38% no ano passado e superado a elevação de 2,55% de 2006. Veja também: IPC-Fipe fecha 2007 em 4,38%, quase o dobro de 2006"Esta variação de 12,73% representou 2,76 pontos porcentuais do IPC do ano", calculou. "Isto significa que, se a Alimentação tivesse apresentado variação zero, a inflação de 2007 teria ficado em 1,62%", explicou.Durante todo o ano passado, o grupo dos alimentos foi diversas vezes representado nos rankings de altas mais expressivas da inflação. No primeiro semestre, o leite longa vida foi a grande preocupação. Chegou a picos de 15%, mas depois migrou para o terreno negativo no segundo semestre, fechando o mês de dezembro com uma taxa de queda de 2,42%, mas acumulando no ano uma variação ainda positiva de 9,32%.O maior vilão do ano passado, entretanto, foi o feijão, que pressionou a inflação no último trimestre. Só em dezembro, preço médio do item aumentou 42,34%, a variação foi a mais expressiva desde maio de 1998, quando o item havia apresentado uma elevação de 62,72%. Em 2007, o feijão acumulou alta média significativa, de 149,50%, nos preços e também liderou o ranking de elevações absolutas e contribuições de itens."O ano de 2007 vai entrar nos registros históricos como o ano da inflação da alimentação", disse Nakane, que trabalha com a expectativa de que, em 2008, a pressão deste grupo seja menor.

Tudo o que sabemos sobre:
AlimentosInflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.