381 remédios aumentaram fora do prazo

Pesquisa realizada pelo Conselho de Farmácia do Distrito (CRF-DF) e do Instituto Brasileiro de Defesa dos Usuários de Medicamentos (IDUM) constatou que o preço de 381 remédios foram reajustados na virado do mês de fevereiro para março, infringindo a Medida Provisória que congela os preços até o final desse ano. Pela MP, os reajustes teriam de ser informados até o dia 31 de janeiro com porcentual máximo de aumento de 5,94%, sendo que os laboratórios deveriam permanecer com os preços congelados até o dia 31 de dezembro desse ano.De acordo com a pesquisa, os reajustes variaram de 0,02% até 9,93%. Um exemplo dos remédios que ultrapassaram o limite de reajuste é o Calcium Sandoz do Laboratório Novartis, cujo aumento foi de 5,98%. O maior aumentou registrado foi o do Testogan do Laboratório Sinterapico: 9,93%.O CRF-DF encaminhou a denúncia para o Ministério da Saúde/Câmara de Medicamentos, solicitando punição para os infratores. Até o momento, nenhum laboratório de grande porte sofreu sanção. Dentre os que aumentaram acima do porcentual permitido estão os laboratórios Novartis, Allergan, Abbott, Sanval, Janssen-Cilag e Eurofarma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.