Estadão
Estadão

40% dos visitantes do site da Caixa em dezembro viram páginas de varejistas, diz Google

Site de buscas apontou que procura pelo termo FGTS em janeiro cresceu sete vezes em relação à média mensal de 2016

Malena Oliveira, O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2017 | 20h33

Apesar da maior disposição para pagar dívidas e investir, 40% dos internautas que acessaram o site da Caixa Econômica Federal em dezembro visitaram também páginas de empresas de varejo, conforme dados divulgados nesta segunda-feira, 20, pelo Google.

A liberação do saque das contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), anunciada pelo governo no fim de 2016, motivou um aumento expressivo na procura pelo termo.

Em janeiro, as buscas por "FGTS" somaram cerca de 20 milhões, um número quase sete vezes superior à média mensal do ano passado, de 3 milhões de buscas.

 

 

Em pesquisa feita com 500 respondentes, homens e mulheres com mais de 25 anos, a empresa concluiu que 42% pretendem pagar dívidas, e outros 20% querem investir o dinheiro do FGTS. Apenas 13% disseram que pretendem comprar produtos. 

Mesmo assim, estimativa do Google feita com base no número de trabalhadores que poderão sacar os recursos aponta que os consumidores em potencial podem chegar a 1,3 milhão.

A pesquisa foi feita por ocasião do Dia do Consumidor, estabelecido em 15 de março, que este ano será apenas alguns dias após a liberação dos primeiros saques. 

Tudo o que sabemos sobre:
Caixa Econômica FederalGoogleFGTS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.