500 maiores vendem menos mas lucram mais em 2003

Apesar de as vendas encolherem, as empresas brasileiras alcançaram lucros maiores em 2003. As 500 maiores companhias do País tiveram um faturamento 3,4% menor no ano passado no comparativo com o ano anterior, totalizando US$ 363 bilhões. O lucro do grupo, entretanto, cresceu 1.048%, passando de US$ 1,8 bilhão para quase US$ 21 bilhões. As informações são do anuário Melhores e Maiores, publicado pela revista Exame, que atribui o desempenho à redução da taxa cambial e ao rigoroso controle de gastos.A maior parte das empresas lucrativas encontra-se no setor de Serviços Públicos e de Siderurgia e Metalurgia, de acordo com a publicação. O anuário analisa a saúde financeira das 500 maiores companhias do País e elege as empresas com melhor desempenho em 20 setores da economia. Entre elas, será escolhida a "Empresa do ano" e o anúncio acontece na quinta-feira.Os critérios para avaliar o desempenho das organizações vão desde a liderança de mercado até a riqueza criada por cada empregado. As companhias indicadas em cada setor foram:Schincariol NE (Alimentos, Bebidas e Fumo):VCP Exportadora (Atacado e Comércio Exterior);Master (Automotivo);DPaschoal (Comércio Varejista);Grendene (Confecções e Têxteis);Matec Engenharia (Construção);Semp Toshiba AM (Eletroeletrônico);Natura (Farmacêutico, Higiene e Cosméticos);Cauê (Material de Construção);Voith Paper (Mecânica);MBR (Mineração);Aracruz Celulose (Papel e Celulose);Petroflex (Plásticos e Borracha);Refap (Química e Petroquímica);Gol Linhas Aéreas (Serviços de Transporte);Redecard (Serviços Diversos);Agip (Serviços Públicos);Albrás (Siderurgia e Metalurgia);Serpro (Tecnologia e Computação);Telegoiás Celular (Telecomunicações).

Agencia Estado,

30 de junho de 2004 | 13h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.