75% dos pobres do mundo estão no campo

Cerca de 75% da população mundial que ganha menos de US$ 1 por dia vive no campo, de acordo com pesquisa do ONU divulgada hoje, para mostrar que se os governos não adotarem políticas para os trabalhadores rurais, não conseguirão vencer a pobreza. A reforma agrária e o fim dos subsídios agrícolas são alguns dos mecanismos defendidos pela ONU para solucionar o problema da miséria no campo.O estudo mostra que nos últimos dez anos, 900 milhões de pessoas passaram a ter acesso à água potável em casa nas zonas rurais. Mas outras 673 milhões de pessoas ainda vivem sem acesso à água. O documento informa que 33% da população rural mundial não conta tem eletricidade. De acordo com o relatório, em 2025, quando a maioria da população mundial estiver vivendo em zonas urbanas, 60% dos pobres continuarão nas áreas rurais. As Nações Unidas alertam também é preciso pensar em questões como saúde e educação para as pessoas que vivem no campo. A aids, por exemplo, já matou cerca de 7 milhões de trabalhadores rurais em 25 países africanos. Até 2020, a previsão é de que outras 16 milhões de pessoas que vivem nas áreas rurais da África não sobreviverão à aids. O secretário-geral da ONU, Kofi Annan, defende que os países ricos reduzam os subsídio nas negociações da Organização Mundial do Comércio (OMC) para permitir um fluxo de bens agrícolas mais "justo". "Os governo precisam mostrar flexibilidade e dar prioridade aos interesses mundiais", afirmou Annan.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.