coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

80% das lojas de brinquedos têm irregularidades, diz Procon

Técnicos verificam, nos brinquedos, infrações como falta de informação em português e ausência de preço

Pedro Henrique França, da Agência Estado,

05 de outubro de 2007 | 16h19

Às vésperas de mais um Dia das Crianças, os pais que querem presentear as crianças devem ficar atentos. Levantamento divulgado nesta sexta-feira, 5, pela Fundação Procon-SP diz que 80% das lojas de brinquedos da capital paulista apresentam algum tipo de irregularidade. A vistoria foi feita em 33 estabelecimentos entre os dias 1.º e 4 de outubro e revelou que 28 lojas registraram irregularidade. Na chamada "Operação Dia das Crianças", técnicos do Procon verificaram infrações como falta de informação do brinquedo em língua portuguesa, assim como a faixa etária recomendada, o resumo dos jogos e o preço. O órgão de defesa do consumidor também detectou falta de dados sobre o distribuidor ou importador, informações referentes à composição do produto e à validade, além da ausência de certificação do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial). Ainda na operação, os fiscais do Procon observaram se os brinquedos envolvidos em recalls da Mattel e Gulliver continuavam sendo comercializados. A Fundação informa que dos estabelecimentos pesquisados nenhum apresentou essa irregularidade. Os fornecedores de lojas que apresentaram irregularidades irão responder processo administrativo e, se condenados, poderão ser obrigados a pagar multas que oscilam de R$ 212,00 a R$ 3,192 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:
BrinquedosProcon

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.