98% das empresas preveem repor ao menos a inflação

Quando o assunto é a expectativa em relação aos reajustes para o ano que vem, a maior parte das empresas deverá conceder aumentos equivalentes ou superiores à inflação. Das 400 empresas ouvidas, 42% informaram que deverão dar aumentos coletivos que irão repor plenamente a inflação, enquanto 56% vão reajustar os salários acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Deste total, 12% das companhias planejam fazer alterações acima de três pontos porcentuais em relação ao índice. Outras 27% creem em acréscimos girando em torno de 2,1% e 3% acima do INPC. As que acreditam em acordos coletivos de até 2% acima da inflação somam 47%. As 14% restantes acreditam em elevação real de até 1%. Segundo o líder em prática de serviços de informações da consultoria Towers Watson, Christian Mattos, ainda que as expectativas sejam de manutenção dos níveis de reajuste, as concessões no próximo ano tendem a ser menores do que as ocorridas neste ano. Seja por conta da perspectiva de inflação menor, seja pela perspectiva de um cenário global desfavorável./L.C.

O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2012 | 03h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.