A Califórnia está falindo

Estado tem déficit de US$ 16 bilhões Maioria das cidades está próxima do colapso fiscal Stockton quebrou em fevereiro, seguida por San Bernardino e Mammoth Lakes

O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2012 | 03h08

A Grécia não está tão longe da Califórnia quando se trata de finanças públicas. O "Grande Estado", como é conhecido na América, já liquidou até mesmo estacionamentos e edifícios governamentais, em um esforço para diminuir o déficit fiscal, hoje em US$ 16 bilhões, e a dívida de US$ 2 trilhões. A crise nas contas estaduais, porém, não é a única a afetar o californiano. A maioria das cidades está próxima do colapso fiscal, e três delas - Stockton, San Bernardino e Mammoth Lakes - decretaram falência nos últimos cinco meses. Em agosto, Copton, com 93 mil habitantes, pode se juntar ao time de falidos.

A raiz da débâcle fiscal na Califórnia está, especialmente, nos sistemas estaduais de aposentadoria e de saúde e nos efeitos da crise imobiliária e financeira de 2008. O ex-governador e ator Arnold Schwatzenegger (2003-2011) tentou cortar os gastos com pensões, mas foi impedido pelo Congresso estadual.

Em Stockton, a prefeitura não teve como financiar seus vencimentos de US$ 155 milhões em fevereiro. San Bernardino faliu em julho por causa do déficit de US$ 45,8 milhões. Mammoth Lakes recorreu ao Capítulo 9, suspendendo os pagamentos, este mês por causa da cobrança de US$ 43 milhões por uma firma da cidade. Compton tem um saldo negativo de US$ 43 milhões e terá US$ 8 milhões em contas a pagar no início de agosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.