'A carência por produtos é grande'

O consultor Amir Somoggi, especializado em analisar o mercado do futebol, acredita que as franquias oferecidas por clubes de futebol devem ganhar espaço nos próximos anos até porque os times do País ainda não exploram todo o potencial de receita proveniente do licenciamento de produtos.

Entrevista com

O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2012 | 03h08

Você aplicaria o seu dinheiro nessas franquias?

Acho um bom negócio. Claro, o empresário tem que olhar o contrato e ver se ele garante a continuidade do negócio porque o ambiente do futebol não é estável como ambientes corporativos tradicionais. Mas o negócio parece promissor.

Por que você acredita nele?

A carência do torcedor por produtos é grande. Eu sei que menos de 30% dos torcedores se dizem consumidores de produtos oficiais dos clubes. O mercado de camisas piratas domina 50% das vendas de camisas de futebol. Então, há muito o que crescer nesse segmento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.