A complexidade da análise da concorrência

O mercado brasileiro de varejo, assim como outros segmentos, tem se tornado mais sofisticado e, portanto, complexo. A possível fusão dos grupos Pão de Açúcar e Carrefour no Brasil demonstra isso. Se as duas redes se unirem haverá restrição à competição?

Eugênio Foganholo, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2011 | 00h00

O varejo brasileiro está se tornando extremamente competitivo, e talvez nenhum segmento represente este aspecto de forma tão aguda como o setor de supermercados. O consumidor trafega por diferentes tipos e modelos de lojas: três vezes por semana vai ao pequeno supermercado perto de casa; a cada dez dias vai a um supermercado maior; uma vez por mês vai a um hipermercado; e a cada três meses vai a um atacarejo. Em outras palavras: é difícil para uma única empresa ou bandeira capturar a maior parte dos gastos alimentares do consumidor.

A questão fundamental é analisar o perfil da concentração das duas redes (excluídas as operações do Ponto Frio e da Casas Bahia) em termos geográficos e do ponto de vista do consumidor. Os consumidores compram para "abastecer" o lar e para "repor" aqueles produtos que acabaram da compra de abastecimento. Os formatos que mais se adequam à compra de abastecimento são os hipermercados e os atacarejos, enquanto supermercados e lojas de vizinhança funcionam melhor para compras de reposição.

Dessa forma, ao analisarmos o comportamento de "abastecimento", há um forte predomínio, no Brasil, de três empresas, que possuem bandeiras nos formatos de hipermercado e atacarejo: Extra e Assaí (Pão de Açúcar), Carrefour e Atacadão (Carrefour) e Supercenter Walmart, Big, Hiper Bompreço, Sam''s e Maxxi (Walmart).

Ao analisarmos o comportamento de "reposição", aos formatos e bandeiras do Pão de Açúcar (Pão de Açúcar, Sendas e CompreBem), o Grupo Carrefour nada aportará, pois o Dia foi desmembrado da operação mundial do grupo.

Portanto, a concentração que irá ocorrer, do ponto de vista do consumidor, é para atendê-lo nas compras de abastecimento, onde a equação de participação de mercado é superior a 27%, nada interferindo em suas compras de reposição. Portanto, o que deveria ser analisado onde há concentração em hipermercado e atacarejo.

DIRETOR DA MIXXER DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.