coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

A elegante joalheria Tiffany quer popularizar-se

Não foi surpresa descobrir que a Tiffany, desde 1837 a fornecedora de bugigangas de luxo para a elite nova-iorquina, está se tornando mais aberta às massas, ?democratizando a sofisticação?. O plano de ação vem sendo introduzido sutilmente no decorrer dos anos. Atravessar as portas sacrossantas não é mais uma experiência intimidante. Na fila, pode-se encontrar tanto adolescentes usando jaquetas de jeans quanto xeques milionários. ?Sempre tivemos uma visão democrática do que deve ser um varejo de itens de luxo?, disse à revista Forbes o executivo-chefe da Tiffany, Michael Kowalski. ?Espero que a Tiffany nunca se torne o tipo de joalheria na qual é preciso apertar um botão para poder entrar.? Leia mais no Estadão

Agencia Estado,

24 de maio de 2002 | 04h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.