À espera de juros nos EUA, Ásia fecha com resultados mistos

Bolsa de Tóquio sobe 7,74% e é seguida por Sydney (+1,34%) e Hong Kong (+1,36%); Seul desaba -3,02%

Agências internacionais,

29 de outubro de 2008 | 04h21

As Bolsas asiáticas fecharam o pregão com resultados mistos nesta quarta-feira, 29, a espera da decisão do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc), do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos), que deve reduzir entre 0,5 e 0,75 ponto porcentual os juros.   Veja também: Veja os reflexos da crise financeira em todo o mundo Veja os primeiros indicadores da crise financeira no Brasil Lições de 29 Veja o que muda com a Medida Provisória 443 Veja as semelhanças entre a MP 443 e o pacote britânico Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise Dicionário da crise    O índice Nikkei da Bolsa de Tóquio fechou nesta quarta-feira em alta de 589,98 pontos (7,74%), para 8.211,90. O índice Topix, que reúne todos os valores da primeira seção, subiu 46,29 pontos (5,90%), aos 830,32.   Segundo a agência japonesa Kyodo, o Banco do Japão (BOJ) pode reduzir nesta sexta-feira as taxas de juros em um quarto de ponto para impulsionar a economia japonesa.   O BOJ estuda duas opções: reduzir em 0,25% as taxas de juros, agora em 0,50%, ou fornecer maior liquidez aos mercados monetários sem mudar os juros.   O ministro da Economia japonês, Kaoru Yosano, acredita que a redução das taxas de juros não favoreceria a economia do Japão nem frearia o fortalecimento do iene em relação a outras divisas.   No entanto, fontes ligadas ao BOJ indicaram que o organismo acredita que a manutenção das taxas de juros levaria o iene a continuar se fortalecendo em comparação com o dólar e outras divisas.   Em Hong Kong, o índice Hang Seng ganhou +1,36%, enquanto que a alta em Sydney foi de +1,34%. O indicador JKSE de Jacarta encerrou em +0,15%. Em Manila, a alta chegou a +4,47%.   As outras Bolsas asiáticas fecharam no vermelho. Seul liderou as perdas, ao cair -3,02%. Xangai perdeu -2,06%, Bangcoc -0,93%, Cingapura -0,38% e Kuala Lumpur -0,33%.   Nesta quinta-feira, terminam as reuniões de decisão da taxa de juros básica tanto nos Estados Unidos como no Brasil. Enquanto o Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) deve baixar os Fed Funds de 1,5% ao ano para 1% ou 0,75% (pelas projeções de contratos futuros), boa parte do mercado no Brasil aposta que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) manterá a Selic em 13,75%. Há até analistas que defendem o aumento de 0,50 ponto porcentual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.