A Getúlio Vargas do Rio apresenta seu novo índice, o IPC-S

O primeiro Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) ficou em 2,18%. Ele foi apurado entre os dias 29 de dezembro e 28 de janeiro, terça-feira passada. O novo índice da Fundação Getúlio Vargas será sempre apurado para períodos de 30 dias terminados em meados da semana anterior à de divulgação, feita sempre nas noites de segunda-feira, dentro do programa de televisão da Fundação Getúlio Vargas "Conjuntura Econômica", exibido pelas emissoras da Rede Brasil. Esse primeiro resultado será comentado pelo coordenador de Análises Econômicas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (Ibre) da Fundação Getúlio Vargas, Salomão Quadros, hoje às 14h30. Quadros já explicou que o IPC-S tem a mesma metodologia dos demais IPCs calculados pela FGV e que fazem parte dos Índices Gerais de Preço. "Ele é da mesma família que os outros IPCs da Fundação, tem a mesma rede de coleta, mesmos itens, a mesma análise de dados. A grande diferença é o período de apuração e a menor defasagem até a divulgação", disse Quadros. "Isso dá para captar mudança de tendências mais rapidamente", acrescentou. O IPC-S, assim como os outros da FGV, baseia-se em pesquisa de orçamento familiar realizada pela FGV em 1999 para famílias com renda entre um e 33 salários mínimos. Cerca de 450 itens entre bens e serviços são apurados em 12 capitais - São Paulo, Belém, Belo Horizonte, Curitiba, Distrito Federal, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Rio e Salvador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.