A indiana NMDC quer comprar a Greystone Mineração do Brasil

Empresa negocia a aquisição por US$ 1 bilhão, de olho nas licenças que a companhia detém na Bahia

, O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2011 | 00h00

MUMBAI

A mineradora estatal indiana National Mineral Development Corporation (NMDC) está negociando a compra do controle acionário da Greystone Mineração do Brasil por US$ 1 bilhão, segundo informações do jornal local The Economic Times. A reportagem cita como fonte duas pessoas envolvidas nos entendimentos entre as empresas. Procurada, a NMDC não quis comentar a negociação.

A NMDC, a maior mineradora da Índia, presidida por Rana Som, faz, no momento, uma avaliação da empresa (due diligence) para obter dados técnicos, financeiros e legais das minas de ferro da Greystone. A empresa, que é propriedade do investidor Pramod Agarwal, tem reservas para produzir 260 milhões de toneladas. O valor ofertado para a compra da Greystone de US$ 1 bilhão inclui as despesas com infraestrutura para o desenvolvimento das minas.

O objetivo do negócio seria a aquisição de seis licenças exploratórias na Bahia, que a companhia Greystone detém. A empresa também desenvolve um projeto de minério de ferro avaliado em US$ 3 bilhões no Uruguai, onde busca um sócio.

A NMDC, que produz 15% do minério de ferro da Índia ou 24 milhões de toneladas, tem buscado minas de ferro no exterior. Em maio, a empresa comprou 50% da empresa australiana Legacy Iron Ore.

Em 2010, a NMDC iniciou conversações com a Ferrous Resources, que possui reservas brasileiras de minério, mas os entendimentos não foram para frente.

Pramod Agarwal é o fundador da Zamin Ferrous, que é dona da Greystone. De acordo com a reportagem, a Zamin Ferrous também não quis comentar sobre as negociações com a NMDC.

Os entendimentos entre as duas empresas começaram há cerca de dois meses. Agarwal , que fica no Reino Unido, deve visitar a Índia nesta semana para dar continuidade às negociações. Se o negócio for para frente, a NMDC irá desenvolver as minas e a infraestrutura ferroviária para levar o minério de ferro ao porto mais próximo.

De acordo com a reportagem, a Greystone tem um depósito a céu aberto de magnetita, mineral que tem menor teor de ferro. Isso exigirá que a empresa crie uma usina de beneficiamento do minério no local.A estatal indiana faz parte de um consórcio de companhias encarregadas em comprar empresas do setor de matérias-primas para exportá-las para siderúrgicas indianas e empresas do setor de energia.

A aquisição da mineradora no Brasil faz parte da busca da NMDC por fornecimento global de matérias-primas, que incluiu a Austrália para minério de ferro e fosfato de rocha e os Estados Unidos e a Rússia para carvão mineral e coque./ AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.