‘A meteorologia pode ajudar a alavancar os negócios de vários setores’, diz Carlos Magno

Presidente da Climatempo investe em tecnologia e diz que faturamento da empresa deve crescer 40% em 2010, impulsionado pela expansão dos serviços de consultoria

Leticia Bragaglia, do Economia & Negócios,

23 de julho de 2010 | 11h34

A pilha de livros na mesa de Carlos Magno mostra que ele tem se dedicado com afinco à leitura especializada sobre gestão empresarial. Bem-humorado, Magno explica que todo o esforço se deve à batalha diária que ele enfrenta para dar conta de administrar a expansão da Climatempo, criada por ele em 88. "Apesar da crise recente, a empresa cresceu 30% em 2009 e atingiu o faturamento de R$ 7 milhões. Em 2010 esse crescimento deve ser ainda maior, de 40%," diz ele.

Para alcançar essa meta, o empresário mantém o foco na previsão do tempo voltada para o agronegócio e os meios de comunicação, mas aposta também na expansão dos serviços de consultoria para segmentos diversificados, como o de moda, varejo, transporte e construção civil. "Esses setores estão descobrindo o quanto informações de meteorologia podem ajudar no dimensionamento dos negócios e na tomada de decisão", afirma o meteorologista. Atualmente os serviços de consultoria respondem por um terço do faturamento da Climatempo. Os outros dois terços são divididos igualmente entre a venda de publicidade do portal da empresa na internet e da TV Climatempo.

Parte 1

Em entrevista ao site Economia & Negócios, Carlos Magno fala também da época em que trabalhou na TV Globo. "Eu ficava nos bastidores, como meteorologista, até que um dia dei uma entrevista para um dos jornais da casa. O Evandro Carlos de Andrade viu e gostou. Acabei virando apresentador." Dessa época ele traz lembranças divertidas, como o reconhecimento do público nas ruas, e uma lição que até hoje o ajuda nos negócios. "A previsão do tempo tem que ser passada para as pessoas com uma linguagem acessível. Isso talvez explique o sucesso do nosso portal na internet, que recebe 1.300.000 visitantes únicos por dia," avalia o empresário.

Parte 2

Casado e pai de três filhos, Magno diz que trabalha doze horas por dia, mas não abre mão dos almoços em família e das partidas de tênis nos finais de semana. Veja a entrevista completa nos vídeos anexados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.