Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

A prefeitos, Maia fala sobre necessidade de mudar Previdência para encaminhar demais projetos

Presidente da Câmara participa da 12ª Marcha dos Prefeitos em Brasília, nesta terça-feira, 9

Camila Turtelli e Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2019 | 11h14

Brasília - O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pediu empenho à aprovação da reforma da Previdência aos prefeitos que participam da 12ª Marcha dos Prefeitos em Brasília, nesta terça-feira, 9.

Além de Maia, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e diversos ministros do governo estão presentes no evento. Entre os ministros, estão o chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e o ministro da Secretaria-Geral, Floriano Peixoto

"A reforma é que vai gerar condições para que o governo junto com o Congresso possam contribuir com Guedes e distribuir recursos dos bônus de assinatura não só do pré-sal. A reforma também vai contribuir para uma solução da lei Kandir e para construir um caminho para pacto federativo", afirmou Maia. 

Emenda Constitucional

Maia fez um discurso empolgado e disse que a aprovação da emenda constitucional sobre a previdência social dará fôlego para que o Executivo e o Legislativo possam dar encaminhamento aos demais projetos demandados pelos municípios. "A reforma da Previdência vem organizar o que foi construído ao longo dos últimos anos. E se nada for feito, nenhum de nós vai conseguir sair na rua nunca mais", disse. 

"Nos últimos 30 anos, o Congresso atendeu muito as corporações públicas e privadas que capturaram o orçamento da União e hoje o governo federal tem pouco recursos para realizar seus próprios investimento", disse Maia.  "Hoje de cada R$ 100, R$ 94 são despesas obrigatórias. Cada ano que passa o governo tem menos espaço para suas despesas livres", disse. 

"O problema do Brasil não é Brasília, a estrutura cara do governo federal, do Congresso e do Judiciário que concentram as despesas", afirmou.  "Estamos trabalhando com o brilhante ministro Paulo Guedes sobre Lei Kandir, sobre cessão onerosa, sobre tantos temas", disse. 

Aprovação

Maia pediu o apoio à Previdência reiteradamente. "A reforma da Previdência não é para o governo federal, estadual ou municípios, e sim para a gente mudar essa curva de recessão", disse. "Precisamos enfrentar em conjunto, são milhares de prefeitos que influenciam centenas de parlamentares". 

"Peço a cada um de vocês: compreendam que a capacidade do governo federal de atender é pequena. E se não fizermos as reformas, principalmente a da Previdência, com muito comprometimento, vai ser só discurso até o momento em que todos os governantes estarão administrando Estados em colapso fiscal", afirmou. "Com apoio de vocês, tenho certeza que o Congresso aprovará a reforma da Previdência, o que será marco histórico."

Antes de iniciar seu discurso, Maia cumprimentou o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). "É um prazer estar com vossa Excelência aqui". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.