Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

A rede Marks & Spencer rejeita uma proposta de US$14,9 bi

Quatro meses de saldo na balança comercial brasileira não seriam suficientes para comprar a prestigiada cadeia de lojas de departamento britânica Marks & Spencer PLC. Hoje, por exemplo, ela rejeitou uma oferta de 8,14 bilhões de libras (US$ 14,9 bilhões) em dinheiro por seu controle acionário.E é a segunda rejeição a propostas do milionário inglês Philip Green, que queria pagar 370 pences (US$ 6,75) por ação, somando os 8,14 bi em dinheiro, depois que a M&S recusou a oferta de 7 bilhões de libras (US$ 12,8 bilhões) em dinheiro e mais 25% das ações de uma nova empresa a ser criada pela Revival Acquisitions, a companhia de Green e sua família. Ela eqüivalia a pagar entre 290 e 310 pence (US$ 5,30 a US$ 5,66) por papel da cadeia de lojas.O chefe executivo da M&S, Stuart Rose, disse que a oferta ?desvaloriza significativamente? sua empresa e as expectativas desta ? mesma resposta dada à proposta anterior ? e que não a ia sequer apresentar aos acionistas. Segundo ele, a decisão da recusa foi tomada em reunião do conselho.Green, que é proprietário da cadeia de lojas de departamento Bhs e das lojas de roupa Arcadia, tem uma fortuna pessoal calculada em 3,6 bilhões de libras ($6,6 bilhões).A M&S é uma das mais tradicionais e famosas marcas inglesas, mas a empresa assumiu, no mês passado, que seu esforço para recuperar vendas estava esbarrando numa competição acirrada. Na mesma época, anunciou que estava indicando Stuart Rose ? o ex-presidente do Arcadia Group Ltd.? como seu novo chefe executivo. Rose deixou a Arcadia quando Green a comprou, há dois anos.

Agencia Estado,

16 de junho de 2004 | 17h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.