carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

À sombra dos subprimes

E a crise dos subprimes continua na mente de gregos, troianos, americanos, sul-americanos e orientais. A cada semana que passa, novas ações são empreendidas, como a decisão de George Bush de ajudar os mutuários, e números são destrinchados de todas as maneiras. O ex-CVM Roberto Saboya divide esta crise em três fases. Primeira: a do gatilho, a queda das LBOs, quando sumiram dos mercados US$ 700 bilhões. Depois, a crise de liquidez dos hedge funds. E, finalmente, o pânico diante da possibilidade da crise sistêmica. Aí, ressalta, os bancos centrais do mundo inteiro entraram no mercado aliviando a crise dos hedge funds, com o que se salvou o mercado das securitizações. "Mas ficaram as feridas dos bancos de investimento." Agora, segundo ele, avaliam-se os estragos. "As ações dos grandes bancos de investimento foram rebaixadas, já que foram eles os grandes perdedores. Caíram as operações de LBO, de US$ 80 bilhões, em junho, para US$ 18 bilhões, agora. E, com isso, os lucros das empresas de LBO e dos Fundos de Private Equity." A estimativa, segundo Saboya, é que a média cairá para 10% ao ano, ante os 20% anteriores. Enquanto isso, ressalta, o PIB americano subiu neste primeiro semestre, passando de 3,2% para espetaculares 4%. E as commodities, que caíram em razão da expectativa de recessão mundial, retornaram aos seus patamares anteriores. "Parece que os americanos ainda não decidiram deixar os seus carrões na garagem e o bilhão de chineses ainda não aceitou comer menos carne", ironiza.Próximos passos? Para os preços de ações, o que realmente importa, segundo Saboya, é saber qual o lucro das empresas neste terceiro trimestre. "Lucro é o resultado do esforço da empresa dentro de um cenário macroeconômico global, portanto, é preciso ter atenção a esses indicadores que começarão a surgir a partir da próxima semana." E o mercado imobiliário americano? "Vai ter uma performance semelhante ao dos últimos três anos: ruim." IMPRESSÃO DIGITALA Fecomércio SP e a Associação Nacional dos Usuários de Transporte de Cargas estão organizando a comemoração dos 200 anos da abertura dos portos brasileiros. Segundo o ex-ministro Rubens Ricupero, um dos patronos da festa, o ato, realizado em 1808, foi o primeiro da globalização no Brasil."Hoje, dois séculos depois, o País precisa ampliar sua inserção no mercado mundial, ainda restrita a poucos produtos, e privatizar para valer os portos, estabelecendo a concorrência. "Em muitos deles, o monopólio estatal que havia foi substituído por um monopólio privado", destaca Ricupero. NA FRENTEIN LOCOO Grupo Caoa prepara-se para aumentar em 65% a mão-de-obra em sua fábrica Hyundai de Anápolis.Para quê? Para a fabricação do Tucson no Brasil, a partir do primeiro trimestre de 2008. CONSCIENTIZAÇÃODuas recentes pesquisas mostram que os consumidores brasileiros estão mais conscientes em relação à responsabilidade socioambiental das empresas.A primeira, do Instituto Akatu, constatou que a cobrança por embalagens plásticas é aprovada por mais de 50% dos entrevistados como forma de reduzir o consumo desse material pelos consumidores.A segunda, feita pelo Ibope, indica que 52% dos respondentes preferem comprar marcas sustentáveis. Prova, segundo o Pão de Açúcar, de que o grupo está no caminho correto em suas ações.VAREJOA Associação Brasileira de Supermercados realiza na próxima quarta-feira o Supermeeting - Evolução das Marcas Próprias no Varejo.Vai apresentar dados que mostram como anda o desempenho de marcas próprias nos supermercados.PASSES QUE VALEM OURODepois de ter desfalcado a Vale na área de executivos, o empresário Eike Batista começa a avançar na Petrobrás para reforçar seus negócios na área energética. Tem oferecido não só salários compensadores, como luvas para garantir o passe dos craques. ANDANDO...Vanderley M. John e Diana Csillag, da Escola Politécnica da USP, analisaram 233 projetos latino-americanos inscritos no Holcim Awards, que elege os melhores projetos de construção sustentável. E constataram que, na América Latina, o conceito de sustentabilidade ainda é tratado predominantemente sob o aspecto ambiental. No Brasil, o panorama é semelhante: 88% dos projetos analisados trazem iniciativas concentradas apenas no aspecto ambiental. A questão econômica é abordada em 65% e a social aparece em 59%.HERANÇA MALDITASomam 67 os prefeitos paulistas que se reúnem dia 15, em São Roque, para discutir os quase R$ 500 milhões que, segundo eles, o Estado de São Paulo lhes deve em repasses do Fundo de Melhorias das Estâncias.Eles têm recebido, sim, admitem, mas apenas do período do governo Serra, sem solução para a dívida dos governos anteriores. CURTASA AmBev contratou 40 funcionários para trabalhar na ex-fábrica da Cintra em Mogi-Mirim (SP), comprada no fim de março. Vão produzir cervejas Antarctica versão 600 ml.A rede Bob?s inaugura sua franquia número 500, no Shopping Florida Mall, em Brasília. O Departamento de Economia da FEA/USP lança o 1º Prêmio EconoTeen em Economia. Alunos do ensino médio de escolas públicas de São Paulo devem escrever sobre o tema "Problemas Econômicos Brasileiros: Desafios ao Desenvolvimento".

Sonia Racy, O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.