A vida financeira das famílias pobres é tema de debate

A vida financeira dos pobres será o tema de um debate nesta quarta-feira, em São Paulo, quando será lancado o livro "Laços financeiros na luta contra a pobreza". Organizado pelo professor da Faculdade de Economia da USP Ricardo Abramovay, a obra mostra como famílias próximas à linha da pobreza organizam as finanças.O livro revela que as famílias pobres usam uma série de mecanismos de crédito e poupança, criando um verdadeiro ?sistema bancário informal?. A partir dos estudos de caso em quatro regiões do Brasil ? Chapecó (SC), Pajeú (PE), Sub-médio São Francisco (BA) e Cariri (PE), o livro revela que os excluídos do sistema bancário acabam usando outras formas para administrar suas finanças, que levam a dependência e clientelismo. Na região do São Francisco, por exemplo, os pesquisadores Júlio César Dias e João Helder Diniz mostram que um comerciante (?o seu Raimundo?) funciona como um microbanqueiro informal. A população guarda o pouco dinheiro extra com ele, que por sua vez empresta para quem precisa e usa os recursos também como capital de giro. Para Abramovay, o acesso a serviços financeiros formais poderia ser um dos instrumentos na luta contra a pobreza. Ele destaca, porém, que os bancos comerciais e oficiais não têm estrutura para atender esse tipo de demanda. O ideal, diz ele, são as cooperativas de crédito. Um exemplo seria o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que atende 1,1 milhão de contratos. Nesse programa, os custos do juro bancário superam muitas vezes 30% do valor do empréstimo. As cooperativas do sistema Cresol de Crédito Solidário, que reúne 71 entidades nos estados do Sul do Brasil, fazem os mesmos empréstimos pela metade do custo.Um dos pontos fundamentais para esse custo menor, aponta o livro, é que a cooperativa está próxima dos pequenos produtores, pois eles são o público potencial, inclusive para outros serviços como poupança e empréstimos.O tema será debatido pelos professores da Faculdade de Economia da USP Paul Singer e Ricardo Abramovay, e da Faculdade de Comunicação (ECA/USP), o Gilson Schwartz. O debate acontece às 19h30, na livraria Cultura do shopping Villa-Lobos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.