A380 estréia no Brasil. Com atraso

A apresentação no Brasil do Airbus A380, maior avião comercial do mundo, foi marcada por um atraso digno da crise aérea. Previsto para decolar às 15 horas do aeroporto internacional de Guarulhos, o avião só saiu do chão às 16h40. O problema não foi de controle do espaço aéreo nem de deficiências de infra-estrutura, mas uma suspeita de overbooking. O número de passageiros embarcados superava em dez a lista oficial da Airbus, o que levou os comissários a inspecionarem os bilhetes de embarque um a um. Ninguém foi expulso. Descobriu-se, ao final, que houve uma confusão na grafia de alguns nomes nas listas da Airbus e da TAM - principal cliente da fabricante na América Latina e que ajudou a organizar o evento. O vôo propriamente dito, que deveria ter durado duas horas, sobrevoando São Paulo e Paraná, não passou de uma hora e quinze minutos.Em uma platéia formada por presidentes e executivos de companhias aéreas, comprar ou não comprar um A380 foi o assuntos dos corredores. Em tom de brincadeira, o presidente da TAM, David Barioni, dizia estar disposto a encomendar 50 aeronaves, e mais uma para ele próprio. O presidente da OceanAir, German Efromovich, que recentemente anunciou uma compra de US$ 4 bilhões em aviões da Airbus, preferiu conter o entusiasmo: ?Nunca compraria esse avião. Imagina se dá uma pane, tem de colocar 600 pessoas em hotéis. Estaria perdido.?O presidente do conselho de administração da Gol, Nenê Constantino, que só tem negócios com a Boeing, rasgou elogios ao avião. ?Muito bom, muito bom?, não cansava de repetir. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.