finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

AABIC: valor do condomínio cai 0,38% em abril

Segundo pesquisa divulgada pela Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (AABIC), o Índice Periódico de Variação dos Custos Condominiais (Ipevecon) registrou queda de 0,38% no último mês de abril em relação a março deste ano. No acumulado de 12 meses encerrados em abril, o índice registrou alta de 6,49%, quase quatro pontos abaixo da inflação medida pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) no período, que foi de 10,44%.O recuo foi puxado, principalmente, pelos gastos com pessoal e benefícios, que caíram 3,09% e 3,12%, respectivamente. Segundo o presidente da AABIC, José Roberto Graiche, o Ipevecon de maio também deverá apresentar estabilidade, pois não há despesas que possam influenciar o índice significativamente. "Mas em junho certamente teremos altas nas quotas condominiais, que irão variar conforme a redução do consumo de energia elétrica conseguida pelos edifícios", afirma Graiche. Além disso, explica, o aumento nas tarifas de água e esgoto também terá impacto na conta dos condomínios, uma vez que o consumo d´água representa, em média, 12% da quota condominial.Racionamento de energiaSegundo levantamento da AABIC, um condomínio padrão gasta, em média, 4.250 kWh de energia por mês, o que representa uma despesa em torno de R$ 1.020,00. "Se os prédios atingirem a redução de 20%, não sofrerão sobretaxa. Mas se, por exemplo, ficarem a apenas um ponto da meta, reduzindo o consumo em 19%, sofrerão um acréscimo de mais de 120% em suas contas de luz, o que poderá resultar num aumento médio de 7% nas taxas condominiais", avalia Graiche.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.