AB InBev fica com 100% da mexicana Modelo por US$ 20 bi

Com o acordo, grupo ficará com a marca Corona, que tem 50% do mercado mexicano e forte presença nos EUA

BRUXELAS, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2012 | 03h07

A Anheuser-Busch InBev comprará a metade do Grupo Modelo que ainda não possui por US$ 20,1 bilhões, no mais recente de uma série de acordos envolvendo grandes cervejarias que buscam o crescimento em países emergentes. O conglomerado já tinha uma fatia de 50,4% do grupo mexicano desde a compra da Anheuser-Busch, em 2008, por US$ 52 bilhões.

A AB InBev, maior cervejaria do mundo e dona das marcas Budweiser e Stella Artois, anunciou ontem um acordo com as famílias controladoras da Modelo para assegurar a posição de liderança no crescente mercado mexicano e controlar a marca Corona, a mais vendida do país.

A cervejaria Modelo, fundada em 1925, é a maior do México, com uma participação de mercado de mais de 50%, em um duopólio com a Femsa Cerveza, da Heineken, no quarto mais lucrativo mercado para o produto do mundo. A Corona é a cerveja mais importada em outro grande mercado, os Estados Unidos.

Segundo a AB InBev, a aquisição vai gerar uma economia de custos de pelo menos US$ 600 milhões por ano.

A AB InBev informou ter buscado US$ 14 bilhões em novos empréstimos bancários para financiar a transação em dinheiro, acrescentando que reduzirá a relação dívida líquida sobre Ebitda (geração de caixa) para uma proporção de 2 vezes em 2014.

Alguns analistas acreditam que a AB InBev pode, então, buscar a SABMiller, número dois do mundo, como próximo alvo de aquisição. Outros dizem que as operações de bebidas da PepsiCo fazem mais sentido.

Com a expansão, a AB InBev deverá produzir cerca de 400 milhões de hectolitros de cerveja por ano, com receitas estimadas em US$ 47 bilhões.

Em transação separada, mas relacionada, a Modelo venderá sua fatia de 50% na joint venture Crown Imports para a Constellation Brands por US$ 1,85 bilhão. A Crown Imports distribui as cervejas da Modelo nos EUA.

Múltiplo. O valor do negócio representa um múltiplo de 15,4 o Ebtida (lucro antes de juros, impostos e amortizações) do Modelo, comparado ao múltiplo de 11 vezes para a Femsa Cerveza e 15 vezes pela aquisição da Foster's pela SABMiller.

"A Modelo é líder de mercado, e a Femsa, não. E a Modelo é uma marca líder de importação nos Estados Unidos", disse o analista Andrew Holland, do Société Générale, acrescentando que esperava um múltiplo de 13 vezes antes do anúncio do negócio. "De qualquer maneira seria alto, tendo em vista que os acionistas da Modelo não estavam sob pressão para vender." / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.