Abal: consumo de produtos de alumínio deve subir 3,7%

O consumo de produtos transformados de alumínio no Brasil em 2013 deverá crescer 3,7% em relação a 2012, para 1,480 milhão de toneladas, de acordo com previsão divulgada nesta quarta-feira pela Associação Brasileira do Alumínio (Abal). A estimativa ocorre apesar do recuo de 0,9% do consumo que foi registrado no primeiro trimestre de 2013.

FERNANDA GUIMARÃES, Agencia Estado

05 de junho de 2013 | 14h00

"Passado um trimestre, as previsões da indústria do alumínio estão aquém das estimativas projetadas no final do ano passado. O resultado do PIB (Produto Interno Bruto) demonstra que as medidas do governo ainda não estão sendo suficientes para a retomada da economia", afirmou, em nota, o coordenador da Comissão de Economia e Estatística da Abal, Luis Carlos Loureiro Filho.

A Abal anunciou ainda que as vendas externas do setor do alumínio devem subir 12,6% neste ano, para US$ 4,4 milhões. Segundo a associação, esse crescimento deverá ocorrer por conta do aumento dos embarques de alumina. Por outro lado, as importações deverão caminhar no sentido oposto e a Abal prevê um recuo de 17%, somando, em 2013, US$ 1,4 bilhão.

Tudo o que sabemos sobre:
Abalconsumoalumínio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.