Abamec prepara projeto para estimular Bolsa

Algumas medidas vêm sendo implementadas para deixar o mercado de ações mais atrativo para o investidor. Exemplo disso é a formação do Novo Mercado, a Lei das S.As. e as regras para a governança corporativa (veja mais informações nos links abaixo). Também com este objetivo, a Associação Brasileira dos Analistas do Mercado de Capitais (Abamec) pretende estruturar um plano de ação com debates entre especialistas do setor e a apresentação de propostas efetivas para a melhoria do mercado.Trata-se do Plano Diretor, que deverá ser divulgado nos dias 3, 4 e 5 de abril, quando será realizado o 17º Congresso da Abamec em Porto Alegre. "O planejamento já foi definido. A próxima fase será de debates entre especialistas", afirma o presidente nacional da Abamec, Humberto Casagrande. Entre os nomes que participarão dos debates, o presidente nacional da Animec destaca: o economista e presidente da Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid), Edmar Bacha; o economista Raul Veloso; o especialista em tributação, Antoninho Marmo Trevisan; o advogado tributarista e ex-presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Ary Oswaldo Mattos Filho; o vice-presidente de mercado de capitais do Itaú, Alfredo Setubal; o presidente da Petrobrás, Francisco Gros; o presidente da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), Raymundo Magliano; o presidente da CVM, ; o economista e deputado federal (PPB), Delfim Neto; e o ex-presidente do Banco Central (BC), Carlos Langoni.Casagrande explica que não pretende traçar um plano teórico. "O Plano Diretor precisa ser prático, com planilhas para listar medidas necessárias para o desenvolvimento do plano. Os estudos darão suporte às sugestões para crescimento do mercado acionário. Além disso, queremos o apoio político do governo central e do Congresso Nacional", afirma.O plano diretor, segundo o presidente da Abamec, será divido em oito itens:- Mercado de capitais e crescimento econômico- Mercado de capitais: diagnóstico, ameaça e oportunidade- Estudo sobre a mobilidade de recursos novos para o mercado- Desenvolvimento e aprimoramento de produtos e mercados- Governança corporativa e proteção ao investidor- Mercado secundário de títulos de renda fixa- Reforma tributária- Condições macroeconômicas: taxas de juros e seus condicionantesVeja nos links abaixo mais informações sobre o principal obstáculo para a recuperação da Bolsa que, na opinião dos analistas, é a elevada taxa de juros real. Veja também como os analistas avaliam a queda no volume de negócios na Bovespa

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.