IURI DANTAS/ESTADAO
IURI DANTAS/ESTADAO

Abastecida por trem, Bauru não fica sem gasolina e diesel

Cidade, no entanto, enfrenta dificuldades com etanol, que não consegue furar os bloqueios desde as distribuidoras de São José do Rio Preto e Ribeirão Preto

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

28 Maio 2018 | 12h35

SOROCABA - Ao contrário do que acontece na maioria das cidades do interior de São Paulo, em Bauru não há corrida para abastecimento nos postos de combustível. Há muitos anos a cidade é abastecida por trens que saem diretamente dos terminais da Refinaria de Paulínia (Replan), na região de Campinas. 

+ AO VIVO: Siga a cobertura da greve dos caminhoneiros em tempo real

De acordo com a empresa Rumo, responsável pela estrada de ferro, não houve interferência da greve dos caminhoneiros no transporte pelos trilhos, já que os vagões-tanques são carregados no interior da refinaria e seguem por linha férrea. 

+ Será preciso aumentar impostos ou reduzir benefícios para compensar queda no diesel, diz Guardia

Conforme a concessionária da ferrovia, a cidade é a única do interior abastecida por seus trens.

Gasolina e diesel são entregues a três unidades de recebimento na cidade do interior, de onde o combustível é distribuído para os postos. Apesar de a população - 372 mil habitantes, segundo o IBGE - não estar sentindo a falta de gasolina e diesel, esses combustíveis não estão chegando às cidades da região, por conta dos bloqueios em rodovias.

O abastecimento de etanol em Bauru, no entanto, está comprometido, pois esse combustível não chega de Paulínia, sendo enviado por distribuidores de São José do Rio Preto e Ribeirão Preto. Por conta do desabastecimento parcial e dos bloqueios em rodovias, a prefeitura decretou situação de emergência na última sexta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.