Abate de bovinos e de aves cai; de suínos sobe, aponta IBGE

Segundo pesquisa, recessão da economia mundial ainda não permite retomada de crescimento do abate bovino

Jacqueline Farid, da Agência Estado,

30 de junho de 2009 | 09h46

O abate de bovinos no País caiu 11,1% no primeiro trimestre deste ano ante igual período do ano passado, segundo a Pesquisa Trimestral do Abate de Animais divulgada nesta terça-feira, 30, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o instituto, nos primeiros três meses de 2009 foram abatidas 6,446 milhões de cabeças de gado. Na comparação com o quarto trimestre de 2008, houve queda no abate de bovinos de 3,6%.

 

Segundo o IBGE, "a recessão da economia mundial não permite ainda uma retomada de crescimento da atividade, que demonstra uma fase de adaptação a esta nova realidade, interferindo nos negócios no âmbito interno e externo", diz, em nota. Ainda segundo o instituto, dados da Secretaria do Comércio Exterior (Secex) mostram que a comercialização externa de carne bovina nos período entre janeiro e março deste ano caiu 19% em volume e 34,1% em faturamento quando comparada aos mesmos meses do ano passado.

 

De acordo com a pesquisa do IBGE, Mato Grosso é o principal Estado brasileiro em abate de bovinos, responsável por 13,6% de toda a produção nacional feita pelos estabelecimentos fiscalizados, seguido por São Paulo (13,3%), Mato Grosso do Sul (12,2%) e de Goiás (9,2%).

 

Os estabelecimentos industriais adquiriram 4,954 bilhões de litros de leite no primeiro trimestre de 2009, com queda de 0,6% ante o primeiro trimestre de 2008 e aumento de 0,5% ante o quarto trimestre do ano passado, segundo o IBGE.

 

Frango

 

O abate de frangos caiu 5,8% nos três primeiros meses de 2009 ante igual período de 2008, segundo o IBGE. Na comparação com o quarto trimestre do ano passado, houve queda de 10,8%. No período entre janeiro e março deste ano, foram abatidas 1,122 bilhão de unidades de frangos no País.

 

Os técnicos do IBGE comentam, no documento de divulgação da pesquisa, que as exportações de carne de frango, no primeiro trimestre, tiveram queda de 3,9%, em volume, e de 21,9%, em faturamento, na comparação com igual período de 2008. Para eles, "sob o impacto da crise financeira mundial, alguns importantes compradores do produto brasileiro reduziram o ritmo de compras, como é o caso da União Europeia, Estados Unidos e Rússia. Isto tem feito com que os produtores brasileiros busquem novos mercados para colocarem seus produtos ou ampliarem suas vendas para locais como Hong Kong e Oriente Médio".

 

Segundo a pesquisa, o abate de frangos concentra-se na região Sul do País (60,6%), seguida pelo Sudeste (22,9%). Em termos estaduais, o Paraná respondeu pelo maior volume de abate (26,5%), seguido por Santa Catarina (18,8%) e Rio Grande do Sul (15,3%).

 

A produção de ovos de galinha somou 580,305 milhões de dúzias no primeiro trimestre deste ano, com aumento de 3,6% em relação ao primeiro trimestre do ano passado e "certa estabilidade" (-1%) ante o quarto trimestre do ano passado, segundo o IBGE.

 

Segundo a pesquisa, São Paulo é o principal Estado produtor de ovos de galinha, participando com 31% do total nacional. Ainda segundo a pesquisa, a produção de ovos de galinha é crescente no Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro, enquanto "quedas significativas" vem sendo verificadas no Acre, Distrito Federal, Rio Grande do Norte e Rondônia.

 

Suínos

 

Por fim, o abate de suínos aumentou 7,1% no primeiro trimestre de 2009 ante igual período de 2008, mas caiu 1,2% ante o quarto trimestre do ano passado, segundo o IBGE. Nos três primeiros meses deste ano, foram abatidas 7,322 milhões de unidades de suínos pelos estabelecimentos industriais.

 

Os técnicos do IBGE destacam que, segundo a Secex, no primeiro trimestre de 2009 a comercialização externa de carne suína aumentou 19% em volume, em relação ao mesmo período do ano anterior. Entre os principais países compradores do produto brasileiro estão Rússia, Hong Kong, Angola, Ucrânia, Argentina e Cingapura.

Tudo o que sabemos sobre:
Agropecuária

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.