Abdib afirma que corte da Selic não é "nada na vida real"

O presidente da Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de Base (Abdib), José Augusto Marques, afirmou que a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de reduzir a Selic, a taxa básica de juros da economia, em meio ponto percentual - de 26,5% ao ano para 26% ao ano - é pura "simbologia e não representa nada na vida real". "Essa decisão só tem o dom, talvez, de acalmar algumas pessoas mais nervosas, que insistem em dizer que nada mudou", disse. Para Marques, apesar do que ele classificou de "conservadorismo do Banco Central (BC)", o corte pode significar pelo menos o início da trajetória de queda dos juros básicos. "E também é chegada a hora de as pessoas entenderem que os juros não dependem só do BC, mas também da própria sociedade, que por meio da reposição de preços força o BC a olhar para a inflação pelo retrovisor", finalizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.