carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Abdib lamenta manutenção da Selic e espera redução em junho

O presidente da Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de Base (Abdib), José Augusto Marques, disse que é lamentável para o setor produtivo que o Comitê de Política Monetária (Copom) não tenha reduzido a Selic, a taxa básica de juros da economia ou, no mínimo, adotado um viés de baixa, o que possibilitaria a reavaliação da taxa antes da próxima reunião do Comitê. "Precisávamos pelo menos de uma sinalização, porque é impossível montar qualquer plataforma desenvolvimentista com esse patamar de juros", disse. Para ele, há condições macroeconômicas para que o BC reduza, na reunião do Copom do mês que vem, a taxa Selic. Na avaliação de Marques, o que levou o Copom a manter os juros básicos em 26,5% ao ano na reunião que terminou hoje foi a preocupação com o cenário econômico internacional, que nos últimos dias vem dando sinais de deterioração. "Foi um elemento de motivação para o Copom, porque nos últimos dias o cenário internacional veio ladeira abaixo, com ameaça de recessão na Europa e deflação nos EUA. E o Brasil tem que se preocupar muito com isso, porque tem excessiva dependência do capital externo para se financiar", afirmou.

Agencia Estado,

21 de maio de 2003 | 15h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.