Abdib projeta mais 5 mil demissões no setor até fim do ano

Pesquisa realizada pela Associação Brasileira da Indústria de Base e Infra-estrutura (Abdib) mostra que a queda na produção industrial do setor foi de 4% no primeiro semestre, porcentual acima do divulgado ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O setor de bens e serviços para infra-estrutura não registra encomendas fortes desde agosto de 2002 e, até o fim do ano, deve demitir pelo menos mais 5 mil trabalhadores. "As empresas estão apenas consumindo a carteira de encomendas conquistada no passado", justifica José Augusto Marques, presidente da Abdib.A falta de grandes negócios, principalmente no setor de energia elétrica, já provocou 1,2 mil demissões. A Abdib argumenta que o número pode parecer baixo quando comparado ao total do setor, que emprega 295 mil trabalhadores no Brasil, mas é significativo porque no atual momento o Brasil precisa criar novas vagas. O índice de utilização da capacidade industrial, que vem caindo desde janeiro, está em torno de 65%. A perspectiva para o segundo semestre continua ruim, por conta dos "sérios problemas regulatórios que afetam o setor", afirmou. A exceção do setor de infra-estrutura é o segmento de óleo e gás, com fluxo regular de encomendas puxado por investimentos da Petrobras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.