Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Abe pede que ministros promovam estímulo de US$ 50 bi

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, decidiu ir em frente com o plano de aumentar os impostos sobre vendas de 5% para 8% em abril de 2014 e vai implementar um pacote de medidas avaliado em 5 trilhões de ienes (US$ 50,1 bilhões)para amortecer o seu impacto sobre a economia e para evitar a desaceleração econômica do país, informaram os jornais Yomiuri Shimbun e Kyodo News, sem citar fontes.

AE, Agencia Estado

11 de setembro de 2013 | 22h09

De acordo com a publicação, um orçamento extra será compilado para financiar algumas das medidas, o equivalente à receita extra gerada por cerca de dois pontos porcentuais do aumento dos impostos. O plano do governo é aumentar o imposto sobre vendas de 5% para 8% em abril do ano que vem e para 10% em outubro de 2015.

O premiê japonês anunciará oficialmente o aumento do imposto sobre vendas e do pacote de medidas em 1 de outubro.

Segundo o Yomiuri Shimbun, a decisão de Abe foi motivada pela revisão do produto interno bruto (PIB) do segundo trimestre para 3,8%. Além disso, a vitória da candidatura de Tóquio para sediar os Jogos Olímpicos de 2020 também contribuiu para que o premiê japonês tomasse essa decisão.

A publicação revela que Abe deve considerar a possibilidade de reduzir a taxa de imposto sobre as sociedades em geral.

Na terça-feira, Abe instruiu o seu gabinete a promover um pacote econômico até o final deste mês, o que indicou que ele iria avançar com o plano para elevar o imposto sobre vendas a partir de abril de 2014. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
japãoabeestímulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.