Abegás confirma reajuste de gás importado da Bolívia

O presidente da Associação Brasileira das Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), Romero de Oliveira e Silva, confirmou na tarde de hoje que a Petrobrás prepara um reajuste no preço do gás natural importado da Bolívia. Segundo ele, as distribuidoras de gás da região Sul - abastecidas apenas com gás boliviano - já receberam um comunicado da estatal informando o aumento nos preços de acordo com a inflação norte-americana, como previsto nos contratos.A Petrobrás, porém, ainda não teria revelado qual o porcentual do reajuste, que segundo cálculos da Abegás, deve ficar em 10,5%. "O que nos deixa mais surpreso é que o aumento vem na contramão, em um momento que esperávamos manutenção ou queda nos preços", reclamou o executivo, lembrando que as cotações do dólar e do petróleo caíram nos últimos meses. O preço do gás boliviano não era reajustado desde janeiro de 2003.A alta no preço deve ser ter mais impacto nas distribuidoras da região Sul (Compagás-PR, SCgás-SC e Sulgás-RS), do interior paulista (Gas Brasiliano e Gas Natural SPS) e na MSgás-MS, que recebem 100% do gás da Bolívia. A Comgás importa dois terços da Bolívia e CEG, CEG Rio e Gasmig também consomem o combustível em proporções menores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.