Abegás: Nordeste escapa do corte da Petrobras

O vice-presidente da Associação Brasileira das Empresas de Gás Canalizado (Abegás), Davidson Magalhães dos Santos, afirmou que as concessionárias do Nordeste não foram afetadas pela estratégia da Petrobras de cortar o suprimento de gás para destinar o insumo para termelétricas, como ocorreu no Rio de Janeiro e pode ocorrer em São Paulo. "Como não existe ligação entre as redes do Sudeste e do Nordeste, o problema está localizado apenas nesses dois Estados", comentou Santos, também presidente da Bahiagás.O executivo contou que, exceto a Potigás (RN), todas as distribuidoras do Nordeste estão abastecendo os seus mercados sem ter contratos com a Petrobras. "Apesar deste corte ser localizado, o problema que está posto é o do despacho das térmicas. O setor de gás tem sido desenhado para atender o seu mercado e para servir como reserva para o setor elétrico. Mas todos sabem que a oferta não cobre toda a demanda se as térmicas foram requisitadas", disse.Na avaliação do presidente da Bahiagás, um ponto importante que precisa ser definido diz respeito aos conceitos de interrupção do fornecimento de gás. "É necessário estabelecer medidas para que isso ocorra. Entendemos que não é culpa da Petrobras, porque a determinação para despachar as térmicas vem do Operador Nacional do Sistema (ONS). Mas um ou dois dias é um prazo muito pequeno para o consumidor tomar medidas para evitar problemas na produção", comentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.