Abegás: vendas de gás natural crescem 1,18% em junho

O forte desempenho do consumo industrial segue impulsionando as vendas de gás natural no Brasil. Em junho de 2011, o volume total comercializado foi de 50,30 milhões de metros cúbicos por dia, ligeira alta de 1,18% sobre os 49,71 milhões de metros cúbicos por dia de igual mês do ano passado, segundo a Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás). Excluída as térmicas, o volume de gás consumido nos demais segmentos apresentou aumento de 10,57%, passando de 37,01 milhões de metros cúbicos por dia para 40,93 milhões de metros cúbicos por dia no período em questão.

WELLINGTON BAHNEMANN, Agencia Estado

20 de julho de 2011 | 13h41

Os dados da Abegás mostram que o consumo de gás industrial cresceu 12,88% entre junho de 2011 e igual mês de 2010, passando de 26,31 milhões de metros cúbicos por dia para 29,71 milhões de metros cúbicos por dia. O uso do gás como matéria-prima também aumentou 7,48% no período, totalizando 746,8 mil metros cúbicos por dia. Outro mercado ligado ao segmento industrial que as distribuidoras reportaram uma pequena alta nas vendas foi o de cogeração, que passou de 3,05 milhões de metros cúbicos por dia para 3,12 milhões de metros cúbicos por dia.

Um dos grandes destaques no período foi o desempenho do segmento de gás natural veicular (GNV). Pela primeira vez nos últimos anos, as vendas de GVN cresceram no País. Entre junho de 2011 e igual mês de 2010, a demanda pelo insumo aumentou 3,7%, passando de 5,23 milhões de metros cúbicos por dia para 5,43 milhões de metros cúbicos por dia. Isso sinaliza que a estratégia das concessionárias de reduzir o preço do GNV começa a surtir efeito, fato beneficiado pela alta do preço do etanol nos postos.

Outro fato relevante é que, pela primeira vez na história, o consumo residencial de gás natural ultrapassou a casa de 1 milhão de metros cúbicos por dia. As concessionárias registraram forte crescimento de 16,52% no período em questão, passando de 904,1 mil metros cúbicos por dia para 1,05 milhão de metros cúbicos por dia. Já as vendas do segmento comercial aumentaram 5,02%, de 660,9 mil metros cúbicos por dia para 694,1 mil metros cúbicos por dia.

O consumo de gás para a geração elétrica recuou 26,7% no período de comparação, de 12,69 milhões de metros cúbicos por dia para 9,29 milhões de metros cúbicos por dia. A queda reflete a melhor situação dos reservatórios das hidrelétricas em 2011 em relação a 2010, o que reduz a necessidade de as térmicas serem despachadas para garantir a segurança energética do sistema. Contudo, o volume de junho de 2011 representa uma forte alta de 35,02% sobre os 6,88 milhões de metros cúbicos por dia de maio deste ano, o que sinaliza que o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) está ampliando gradativamente o despacho das termelétricas para que o sistema faça frente ao período seco (sem chuvas).

No ranking estadual das concessionárias, o Estado de São Paulo segue na liderança, com um volume de vendas de 15,791 milhões de metros cúbicos por dia em junho de 2011. As empresas do Rio de Janeiro seguem em segundo lugar, com 11,451 milhões de metros cúbicos por dia, seguidas pela Bahia (3,979 milhões), por Minas Gerais (3,157 milhões) e por Pernambuco (3,047 milhões).

Na comparação entre junho de 2011 e maio do mesmo ano, as vendas totais de gás cresceram 4,9%. Excluída a demanda das térmicas, o consumo agregado do comércio, da indústria, do GNV, da cogeração e outros ficou estável no período, com ligeira variação positiva de 0,9%.

Tudo o que sabemos sobre:
energiagás naturalGNVvendasAbegás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.