Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

‘Abertura de postos de bandeira branca tende a crescer’, diz fundador de startup

MP dos Combustíveis deve dar impulso à tendência, segundo Pedro Oliveira

Entrevista com

Pedro Oliveira, fundador da Pronto Combustíveis

Fernanda Guimarães, O Estado de S.Paulo

06 de setembro de 2021 | 05h00

O movimento de postos de combustíveis buscando mais liberdade na bandeira branca, ou seja, passando a ser um estabelecimento sem vinculação a alguma distribuidora, deve seguir forte e ganhar um impulso com a “MP dos Combustíveis”, segundo Pedro Oliveira, fundador e presidente da startup Pronto Combustíveis – aplicativo de cotações, pedidos, entrega e financiamento de combustíveis para esse tipo de posto.

Essa dinâmica, diz o executivo, garantirá crescimento para a empresa, mesmo que a tendência seja de que o consumo permaneça menor do que o período pré-pandemia. Outra avenida de crescimento ocorrerá quando a empresa começar a desbravar outras regiões do País e América Latina. Para isso, a companhia está em processo de captação para financiar o crescimento.

Como foram os negócios nesse período de pandemia?

Nosso mercado foi muito atingido. O consumo de diesel e gasolina caiu. Abrimos uma nova linha de serviços. Antes atuávamos muito com os médios e grandes, mas como caiu muito o volume partimos para uma entrega fracionada, assim os postos deixaram de precisar de comprar um caminhão inteiro de combustíveis. Isso permitiu que os postos comprassem menos volume, o que ajuda no capital de giro.

E qual sua expectativa para o consumo de combustível?

Eu acho que volta a crescer, mas não acredito que será como no ano retrasado. Muita gente aprendeu a trabalhar remotamente e parte disso vai continuar.

Como fica a estratégia de crescimento diante desse cenário?

Nós só estamos na metade do Estado de São Paulo e nossa ideia ainda é ir para o restante do Brasil e América Latina. Estamos fazendo agora uma captação. Começamos com combustíveis e o plano é partir para outras verticais, como energia e óleo lubrificante.

Qual a tendência de crescimento para os postos bandeira branca?

Os postos estão buscando mais liberdade para comprar combustíveis de quem quiserem, não querem mais ficar fechados com um único fornecedor.

E como a MP dos combustíveis vai afetar o setor?

Acaba sendo muito positivo, porque passa a ter essa liberdade de as usinas venderem etanol direto para o posto, sem passar pelas distribuidoras. Apesar de abrir um leque para as usinas, não é o negócio chave delas financiar a entregar a esses postos. E nós fazemos isso.

Tudo o que sabemos sobre:
etanolgasolinacombustível

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.