Abiape diz que setor já opera em ritmo de apagão

O presidente da Associação Brasileira dos Investidores em Autoprodução de Energia Elétrica (Abiape), Mário Luiz Menel, disse ontem que o setor de energia já opera em ritmo de apagão, diante da alta do custo do megawatt-hora. A entidade reúne gigantes como mineradora Vale, as siderúrgicas CSN e Gerdau, além do Grupo Votorantim.O empresário rechaçou a afirmação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que "a questão energética vive de boatos?. Para o empresário, "o racionamento se faz no preço". "Ora, se estamos pagando de cinco a seis vezes mais pela energia, isso já é racionamento. Para mim, pagar cerca de R$ 600 o megawatt-hora já configura apagão?, observou. Segundo ele, há investidores, mas o governo não tem projetos. Um modelo matemático define o preço da energia no mercado livre, levando em consideração elementos como o volume de chuvas e o crescimento econômico. Quanto maior o risco de escassez, maior o preço. O indicador, medido pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), alcançou o máximo permitido de R$ 569,59 para todo o País. O valor é quase 20% maior do que os R$ 475,53 da semana passada. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.