Abicalçados diz que nunca violou acordo com Argentina

A Associação Brasileira da Indústria de Calçados (Abicalçados) reiterou hoje que nunca fechou acordo de cotas para exportação de calçados brasileiros à Argentina e que, portanto, não pode ser acusada de ter violado o acordo. Ontem, o presidente da Câmara da Indústria do Calçado (CIC), da Argentina, Alberto Sellaro, teria dito, conforme os jornais de hoje, que o Brasil rompeu acordo que limitava a exportação de calçados para o país vizinho.Os argentinos voltaram a pedir a seu governo a aplicação de medidas restritivas aos calçados brasileiros. A Abicalçados também rebateu acusações da indústria argentina de que os produtos brasileiros são subsidiados. "Não há subsídios", disse o diretor-executivo da Abicalçados, Heitor Klein.De acordo com Klein, não está prevista reunião entre os empresários dos dois países para discutir a questão. O executivo reiterou que o tema está na pauta das discussões bilaterais há mais de um ano e que os brasileiros não pretendem aceitar cotas "porque não seria funcional e nem teria amparo legal".Legalidade No que se refere à legalidade de um acordo de cotas que pudesse ser fechado entre o setor privado dos dois países, Klein disse que não há marco jurídico que impeça uma empresa de conseguir de um juiz a liberalização das vendas.De janeiro a novembro deste ano, segundo os últimos dados da Abicalçados, o Brasil exportou para a Argentina 14,4 milhões de pares de calçados, o que equivale a US$ 98,7 milhões. Em volume, o acréscimo foi de 34% sobre o mesmo período do ano passado, e em faturamento, 50%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.