Abilux prevê queda no preço de lâmpadas

O presidente da Associação da Indústria Brasileira de Lâmpadas e Aparelhos de Iluminação (Abilux), Carlos Eduardo Uchôa Fagundes, previu uma queda drástica no preço das lâmpadas fluorescentes compactas. A redução, segundo ele, será uma conseqüência da decisão tomada hoje na reunião do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), em Brasília, em que foi aprovada a isenção temporária do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que até agora tributava os produtos em 18%. Segundo Fagundes, o impacto da decisão sobre os preços das lâmpadas pode chegar a 30%. "A isenção foi um avanço considerável, porque barateará drasticamente os produtos, em 25% ou até 30%", calcula. Hoje os estoques dos produtos estão quase esgotados, mas o presidente da Abilux assegurou que a distribuição deve ser normalizada em poucos dias. Ele estima que, na semana que vem, o consumidor já possa encontrar os produtos mais baratos nas prateleiras, considerando o prazo estimado de chegada de novas remessas das lâmpadas no País, via aérea, e a agilização do trabalho da Receita Federal no desembaraço alfandegário. Além da isenção do ICMS, a Abilux ainda pleiteia mais duas reduções de tributos, ambas no âmbito federal. Fagundes disse que aguarda "para as próximas horas" a isenção do Imposto de Importação (18%) e do Imposto sobre Produto Industrializado (IPI), hoje em 15%, sobre as lâmpadas fluorescentes compactas. Segundo ele, o cenário perfeito seria concretizado, caso o governo reduzisse também, de 18% para 2%, a alíquota de importação sobre componentes eletrônicos utilizados na fabricação das lâmpadas que consomem menos energia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.