Abimaq diz que aumento da Selic é descabido e exorbitante

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Luiz Carlos Delben Leite, classificou o aumento da Selic, nesta segunda-feira, pelo Copom de "descabido e exorbitante".Para ele, o comitê do Banco Central (BC) errou. "Esse aumento de 3 pontos percentuais é uma medida descabida e exorbitante. As medidas da semana passada (aumento do compulsório dos depósitos à vista, a prazo e de poupança) já eram suficientes para conter o dólar", avaliou.Segundo ele, as medidas tomadas na sexta-feira passada foram impostas pela situação, mas o aumento da Selic não era necessário, uma vez que os juros já estão altos e prejudicam o setor produtivo. "Como a liquidez dos bancos já foi reduzida na semana passada, o Copom poderia até cortar os juros, o que diminuiria os gastos do governo sem ter reflexo nos juros cobrados pelo mercado, que já estariam mais altos pela elevação do compulsório", disse.Na avaliação dele, o setor de máquinas e equipamentos será muito afetado. "O setor reage à toda economia, aos investimentos produtivos. Sem dinheiro para empréstimo e com juros altos vão cair os investimentos produtivos e o setor vai ficar parado", disse Delben Leite. "A demanda já está fraca e ainda vai piorar", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.