Abinee espera assembléia de auditores para ir à Justiça

O presidente da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Carlos Paiva Lopes, reafirmou hoje que deverá recorrer à Justiça para pedir a liberação dos componentes que estão bloqueados na alfândega, em decorrência da paralisação dos auditores fiscais da Receita Federal. "Estamos verificando contra quem entraremos com a liminar", disse.A única possibilidade de a Abinee não recorrer à Justiça, afirmou Lopes, seria o encerramento da paralisação e a liberação em caráter de urgência dos componentes. "Eles (os auditores fiscais) já deram um primeiro passo ao definir que a paralisação ocorrerá somente às quintas-feiras", explicou o presidente. "E estamos também no aguardo da decisão que será tomada em assembléia do sindicato dos auditores, marcada para o dia 26".Segundo Lopes, a Abinee está concluindo um levantamento do prejuízo causado às empresas eletroeletrônicas durante o período de paralisação, cujo protesto se arrasta desde abril. "Sabemos que há um prejuízo grande, mas ainda não temos um levantamento oficial", explicou o presidente. "Todos os setores foram afetados porque a maioria dos componentes utilizados é importada. A indústria de informática deve ter sido a mais atingida".Iniciada há cerca quatro meses, a operação padrão dos fiscais da Receita tem causado atraso na entrega de encomendas e paralisação de linhas de produção das indústrias do setor, cujas peças são em grande parte importadas. "Conheço casos em que 95% do equipamento já está montado, mas continua parado na linha porque não há componentes", contou Lopes. Um das maiores fabricantes nacionais de computadores, a Itautec registrou em junho o pior resultado do semestre em decorrência do atraso na entrega de equipamentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.