Abinee fala em setor elétrico 'penalizado' pela MP 579

O presidente da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Humberto Barbato, acredita que o setor elétrico poderá ser penalizado pela Medida Provisória 579. A MP, aprovada na noite da quarta-feira pelo Congresso, antecipa a renovação dos contratos de concessão de energia elétrica e reduz o preço da eletricidade em cerca de 20%.

GUILHERME WALTENBERG, Agencia Estado

13 de dezembro de 2012 | 14h21

Para Barbato, a diminuição na arrecadação das concessionárias em consequência da medida pode comprometer a capacidade de investimento. "O governo tem que olhar com cautela essa medida, senão outros setores (da indústria) serão beneficiados (pela medida) e o elétrico será penalizado", afirmou o executivo nesta quinta-feira em entrevista à imprensa.

Barbato se disse favorável a todas iniciativas que reduzam custos, mas alertou para as consequências negativas que podem trazer. "Não podemos tirar a capacidade de investimento dos nossos clientes geradores. Queremos que eles continuem saudáveis", emendou.

Tudo o que sabemos sobre:
Setor elétricdesempenho 2012Abinee

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.