Abit esperava corte maior na taxa de juros

O presidente da Associação Brasileira da Industria Têxtil e de Confecção (Abit), Paulo Skaf, considerou que a redução da Selic, a taxa básica de juros da economia, anunciada pelo Banco Central nesta quarta-feira, ficou abaixo do esperado. A Selic estava em 26% ao ano e Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu, de forma unânime, pela redução de 1,5 ponto porcentual, o que levou a Selic ao patamar de 24,5% ao ano. "Para retomada do crescimento, a partir de setembro e outubro, seria necessária uma redução de, pelo menos, 3 a 4 pontos neste momento", afirmou Skaf. "O nível da atividade industrial está extremamente baixo, com forte retração de produção, renda e emprego. É preciso mudar este quadro urgentemente. Eu espero que essa redução indique uma mudança na política monetária brasileira e que a meta seja a recuperação do nível de atividade", disse ele. "Precisamos agora de uma trajetória de cortes decisiva na taxa básica, para que ela chegue ao final do ano entre e 16% ou 17% ao ano", conclui o empresário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.